Entre mortos e feridos, salvaram-se todos

 Por Aluísio Pinheiro

Este título não poderia ser mais apropriado para o fato ocorrido neste domingo à tarde no Beira-Rio. Os torcedores de Inter e Grêmio que compareceram ao estádio para assistir a um grande espetáculo futebolístico, tiveram na mesma tarde momentos de angústia e nervosismo, mas também de glórias e certezas.

O tricolor gaúcho obteve seu direito de disputar a final da Copa Sul, mas certamente não a obteve da maneira como se esperava. No fundo, foi uma classificação amarga e difícil de se digerir.

Sem vencer seu maior rival há três anos, o Grêmio manteve a escrita e, com muito pouca garra e determinação, perdeu a partida por 2 a 0. Características essas que não faltaram aos colorados, numa tarde inspirada de seus jogadores, inclusive com um gol do tão criticado Dunga, que por sua vez jogou bem durante todos os 90 minutos. de jogo.

Contudo, o aspecto mais positivo do Gre-Nal foi, sem dúvida nenhuma, a capacidade técnica do time do Internacional, mostrando um melhor entrosamento tático, uma maior disposição física em campo e, acima acima de tudo, um desempenho individual ainda não visto este ano pela equipe dirigida por Paulo Autuori. Basta agora dar regularidade nesta, espero eu, nova fase do Colorado.

Ao Grêmio restou o consolo da classificação, se é que podemos chamar assim. Ou seria o consolo da desclassificação colorada a vitória no clássico?

Deixe uma resposta