A Gol – Nº 1

 Por André Roca

Cadê o time? – O Inter, após conquistar o último Gauchão e fazer uma bela campanha no Campeonato Brasileiro do ano passado, parece ter esquecido que é um time grande. A direção colorada não conseguiu manter nomes que foram fundamentais para a equipe, como o capitão Fernando, o zagueiro Marcão e os meias Arílson e Sandoval, e, para piorar, tenta convencer a torcida de que os novos reforços poderão resolver as carências do time. O Inter é um clube grande e tem uma torcida apaixonada que merece mais respeito. Torcida esta que sofre a cada jogo vendo o seu time do coração apresentando um futebol medíocre. Está na hora da direção colorada ousar mais e contratar jogadores para serem titulares, e não simplesmente para compor grupo. O torcedor merece.

E na serra – O Juventude parece ser mesmo o primo pobre do rico Palmeiras. Depois do feito do ano passado, quando conseguiu ficar entre os oito melhores do Brasileiro, o seu time foi desfeito quase que por completo. Bem que a Parmalat poderia dar mais atenção para a Serra Gaúcha.

Tricolor – A direção gremista está mostrando mais uma vez como é que se administra um time. Após se desfazer de jogadores importantes, que foram decisivos para as últimas grandes campanhas do clube, a diretoria se mobilizou e foi atrás de substitutos à altura do Grêmio. Apesar do grande número de jogos e, ao mesmo tempo, do entrosamento que ainda não está bom, o resultado da investida gremista pode-se ver dentro de campo.

Seleção Brasileira – Durante os últimos anos de preparação para a Copa do Mundo, a Seleção Brasileira se caracterizou por disputar amistosos, quase sempre contra times inexpressivos, muito embora nem todos fossem. Faltando poucos meses para o início da competição, a Seleção ainda não apresentou ao torcedor o grupo principal, enquanto muitas outras seleções jogam praticamente sempre com o mesmo time. Só agora que a CBF resolveu marcar jogos contra países como Alemanha e Argentina. Um bom teste para quem quer o Penta. Antes tarde do que nunca.

Zagallo parece desconhecer o goleiro André, do Inter. O melhor goleiro do último Brasileirão não foi convocado nem para ficar no banco. Quem perde é a Seleção.

(Publicado originalmente na Edição 1, de 23 de março de 1998)

sobre o autor

André Roca
Jornalista, escritor e professor de Letras, mestre em Escrita Criativa

Deixe uma resposta